Num cafezinho anterior chamei de monstros da negatividade gente com pensamento negativo, que acusa qualquer um que se diga esperançoso com o Brasil e decida participar da mudança, de ter motivações e intenções obscuras, do mal. Os monstros da negatividade são incapazes de ver qualquer sinal positivo e culpam os outros, o sistema, as elites, os elementos externos pela desgraça que vai chegar. Para quem está em outra vibe, apostando na mudança, aceitar os monstros da negatividade esperando que, com o tempo, mudarão de visão, é uma atitude passiva que alimenta o monstro, que se sentirá justificado, ficará mais forte e violento, apostando que em algum momento dirá triunfalmente o “eu avisei!”. Na verdade, essa turma até inconscientemente, torce e até trabalha para que as coisas deem errado!

E exercer a tolerância, apenas reconhecendo e tolerando o direito do outro de ser negativo, não muda nada. O que fazer então?

Bem, primeiro devemos cuidar de nossa armadura emocional, que nos protege da contaminação pelos negativos. Temos de proteger nossa energia, nossa motivação para mudar. O monstro da negatividade não sabe mais que nós, não pode adivinhar o futuro, só pode se alimentar de suas angústias e gerar energia negativa para que as coisas não mudem. Depois, devemos demonstrar segurança, deixar claro que escolhemos outro caminho e – se possível – explicar a razão. Mostrar que preferimos aceitar os riscos da mudança a permanecer no ressentimento passivo.

Entendido? Em dois cafezinhos sobre os monstros da negatividade, falei como agirei de dentro pra fora para participar do momento de mudança do Brasil e vencer esses monstros.

Agora preciso trabalhar.

Tem mais um monte de bandido pra botar na cadeia.

 

Este cafezinho chega a você com apoio do Cafebrasilpremium.com.br, um MLA – Master Life Administration, que ajuda a refinar sua capacidade de julgamento e tomada de decisão. www.cafebrasilpremium.com.br

Share | Download(Loading)