O dia é 21 de março. 80 dias após deixar o cargo, o ex-presidente é preso pela operação Lava Jato. A acusação está no artigo 312 do código penal:

"Apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio”.

Chocados, assistimos as imagens do presidente dentro de um veículo preto, com policiais ostensivamente armados ao redor. O que choca, na verdade, é o fato do ex-presidente não ser réu, nem ter sido julgado. Ele é preso preventivamente, acusado de ser chefe de uma quadrilha que há anos desvia recursos do Estado. É ou não é chocante?

Agora faça um exercício. Tudo que acabo de dizer, acontece no dia 21 de março de 2011. E o nome do ex-presidente é Luis Inácio Lula da Silva. O que você acha que teria acontecido?

Pera...para de gritar! Pense!

A situação é perfeitamente aplicável tanto para Temer quanto para Lula! Aliás, Lula tem muito mais processos que Temer, mas só foi preso depois de meeeeeses de investigações, recursos em todas as instâncias e muita gritaria. E ainda teve uma multidão tentando evitar que a polícia fizesse seu trabalho.

Já o Temer teve... nada. Ninguém.

Pô, você continua gritando?

Olha, não estou julgando se a prisão foi correta ou não, quero mais é que todos que tiverem rabo preso acabem numa cela em um presídio qualquer, por muitos e muitos anos. O que me deixa curioso é essa espécie de relativismo que faz com que dois cidadãos tenham tratamento completamente diferente. Você também fica curioso? Então ouça de novo os Cafezinhos que publiquei sobre as três esferas. Embora pareça que tudo está dentro da esfera criminal, na verdade é a esfera política que comanda.  

E aí, meu caro, tudo é relativo.

 

Este cafezinho chega a você com apoio do Cafebrasilpremium.com.br, um MLA – Master Life Administration, que ajuda a refinar sua capacidade de julgamento e tomada de decisão. www.cafebrasilpremium.com.br

Share | Download(Loading)